FIEPE participa de audiência para discussão da reforma da PEC da Previdência Social

Publicado por
11 março 2017 13h52

“Nós temos uma Previdência Social que precisa ser reformada por que da forma como ela está posta é absolutamente inviável.” Esta foi a posição adotada pelo vice-presidente da FIEPE, Rafael Coelho, na audiência pública realizada na manhã desta sexta-feira (10) na Câmara de Vereadores de Petrolina.

Durante a audiência para discussão da PEC 287/16, que reuniu representantes de centrais sindicais, CUT, Sintcope, Sindilojas, Sindsemp, Sintraf e lideranças políticas regionais, Rafael Coelho afirmou ainda que não existe uma fórmula mágica para equilibrar as contas públicas e que é preciso a participação de toda sociedade para que as novas gerações não sejam prejudicadas. “O que devemos nos perguntar é: vamos prometer mais agora e não entregar nada ou vamos prometer menos com a certeza de entregar depois?”, questionou.

O deputado estadual Rodrigo Novaes (PSB) também se posicionou lembrando que todo o povo brasileiro deve se unir em torno da reforma da Previdência Social, proposta pelo governo Temer. “Inclusive, defendo ainda uma grande discussão nacional sobre a dívida pública e a repercussão desta para o bom andamento da reforma da Previdência e principalmente do capítulo que diz respeito aos direitos dos trabalhadores”.

De acordo com o vereador Osinaldo Souza (PTB), autor da iniciativa da audiência pública, a PEC 287/16 vem gerando várias polêmicas em todo país principalmente por mexer em pontos cruciais, a exemplo do tempo de contribuição e idade para ter o direito à aposentadoria. “Nossa audiência contou com uma grande participação popular, além de especialistas na área de legislação previdenciária, Ministério Público e a gerência local do INSS. Fazemos um balanço positivo da audiência, e agora mais do nunca, temos a convicção de que não queremos essa reforma absurda, desumana e brutal contra o cidadão brasileiro”, concluiu Osinaldo Souza (PTB).

Da Class Comunicação e Marketing

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.