Inmetro suspende marca de fogão Atlas após denúncia da Proteste

Publicado por
5 julho 2017 07h18

Foto: Atlas Eletrodomésticos na Eletrolar Show 2015 – Radar Television

 

O Instituto Nacional De Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) suspendeu e a comercialização e fabricação dos fogões da marca Atlas. A medida foi tomada após denúncia feita pela Proteste – Associação de defesa do consumidor, que realizou teste mostrando inadequação dos produtos.

Na análise da associação, os modelos liberam monóxido de carbono (CO) acima do limite considerado seguro. No modelo Atlas 5 bocas Top Machine, foi detectado 0,27% e 0,47% de liberação de CO, sendo que o máximo permitido pela ABNT para a segurança do usuário é de 0,2%. Já o modelo Atlas Coliseum 4 bocas, foi determinado um risco de tombamento, o que pode causar lesões ou queimaduras graves aos usuários.

Com base nessas informações, o instituto realizou avaliações próprias em novas amostras dos produtos coletados no mercado, confirmando os problemas apontados. Assim, foi acionada a Rede Brasileira de Metrologia Legal e Qualidade Inmetro (RBMLQ-I), para ações de fiscalização, para verificar se as proibições de fabricação e de comercialização estão sendo cumpridas pela empresa. Além disso, o caso foi levado à Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) para que sejam adotas as práticas necessárias, como o recall do produto.

A Atlas decidiu fazer o recall preventivo de maneira espontânea, assim que recebeu a notificação do Inmetro sobre o caso. Dessa forma, os clientes que tenham adquirido os produtos Coliseum e Top Machine fabricados a partir de fevereiro de 2017, devem entrar em contato com a equipe de atendimento para verificar se o produto precisará passar por recall. Os contatos podem ser realizados por telefone: 0800 707 1696 (ligação gratuita), por chat online: www.atlas.ind.br/pt/apoio-ao-consumidor ou e-mail: sac@atlas.ind.br

A associação recomenda então que quem tem um desses modelos em casa exija seus direitos junto ao fornecedor.

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta