‘Lista de Janot’ chegará ao gabinete de Fachin na próxima semana, informa STF

Publicado por
16 março 2017 19h53

Procurador-geral protocolou na terça 83 pedidos de abertura de inquérito para investigar políticos. Material passa por processamento interno antes de ser enviado ao gabinete do ministro.

Do G1, Brasília

Foto Reprodução: Internet

O relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, receberá as caixas com 83 pedidos de inquérito da Procuradoria Geral da República para investigar políticos citados nas delações da Odebrecht somente na próxima semana, informou a assessoria da Corte, possivelmente na segunda-feira.

As 11 caixas de documentos foram entregues ao Supremo na terça-feira. Havia expectativa de que o trabalho de processamento interno do material terminasse nesta sexta. Mas, segundo a assessoria, isso pode não acontecer.

Antes de encaminhar os volumes de documentos ao relator, a área técnica do STF tem de rotular o nome do novo relator da Lava Jato nas pastas e também emitir certidões .

A assessoria do STF informou, logo após a chegada do material ao tribunal, que os documentos foram depositados em uma sala-cofre montada no terceiro andar do prédio principal do STF.

A sala-cofre fica próxima ao gabinete da presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia. O recinto, sem janelas, tem uma mesa grande. Os processos ficam ao redor, empilhados em prateleiras.

O material vai ficar nessa sala até que todos os documentos sejam rotulados com o nome do novo relator da Lava Jato.

Fachin assumiu a relatoria do caso no início de fevereiro. Ele substituiu na função o ministro Teori Zavascki, que morreu em janeiro em um acidente aéreo no litoral do Rio de Janeiro.

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.