USANDO NA CRISE AS ARMAS DE UMA BOA GESTÃO

Publicado por
3 fevereiro 2017 21h45

Por Everaldo Paixão

 

Talvez não seja tarefa humanamente fácil gerir um município cheio de problemas e equacioná-los em meio a uma crise econômica turbulenta e com perspectivas lentas de melhoras. O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB) que logo no início da sua gestão prova o autêntico propagandista popular que tem sido, enumera uma quantidade de serviços “milagrosos” que vem desenvolvendo em pouco mais de dez dias no comando da prefeitura paulistana.

Mais de 243 mil exames agendados; redução de 50% na fila de agendamento; mais de 25 mil exames realizados em uma semana; 15 mil toneladas de lixo recolhido; 599 árvores podadas; redução em 15% dos valores de todos os contratos administrativos. O prefeito em seu primeiro dia de trabalho útil se vestiu de gari ladeado por seus secretários e anunciou o programa “Cidade Limpa”, um conjunto de atividades que prevê limpeza e manutenção de ruas, galerias, conservação de pavimentos, retiradas de faixas e cartazes, recuperação de praças e canteiros, manutenção da iluminação pública, reparo de calçadas, etc.

O prefeito lançou o programa Trabalho Novo para empregar moradores de rua e realocou às pessoas que estavam nessa condição mesmo sofrendo pressão da Pastoral do Povo da Rua, entidade ligada á Igreja Católica, comandada pelo Padre Júlio Lancelotti. Dória tratou logo de providenciar melhorias no local instalando banheiros químicos para atender os moradores de rua, atendendo com urgência ao pedido da Pastoral do Povo da Rua.

Em Araripina, o prefeito Raimundo Pimentel (PSL) está tentando fazer algo parecido para mesmo diante da “bagaceira generalizada” deixada pelo gestor anterior consiga dentro de um prazo curto dar uma resposta positiva à população de que o Município agora tem comando. De início começou realizando uma limpeza no Canal São Pedro e seus pontos de interligações desobstruindo a passagem das águas dos esgotos da cidade que em trechos encontravam-se interrompida por conta dos entulhos que são jogados no canal e por isso, virou um imenso depósito de larvas que representavam no momento a grande quantidade de muriçocas que estava atormentando a população.

Além dessa ação, outras como fazer um levantamento das escolas depredadas no Município, retirar os animais de grande porte das ruas, cobrar providências dos proprietários de terrenos baldios para que executem as limpezas do mesmo cumprindo o que preconiza o Código de Postura de Araripina, enfim, dentre tantas outras urgências que ainda precisam de celeridade, como correr contra o tempo para resolver outros imbróglios relacionados a saúde pública, a educação, a infraestrutura…

Em Bodocó, o prefeito Túlio Alves (DEM) mobilizou as secretarias de Infraestrutura, de Recursos Hídricos, de Urbanismo e Serviços Públicos, para realizar a desobstrução e conserto da rede de esgotos sanitários em diversas ruas da cidade, tentando também agilizar serviços essenciais que estavam causando transtornos à população.

Em Ouricuri, o prefeito Ricardo Ramos também corre contra o tempo e mobiliza toda sua equipe para trabalhar dobrado tentando atender em tempo hábil as principais necessidades dos ouricurienses. Assim como Araripina e Bodocó, Ouricuri era um dos municípios dessa tríplice problemática que inspirava muitos cuidados, pelos motivos de que assim como os araripinenses e os bodocoenses, o prefeito anterior deixou apenas como herança, muito lixo para coletar, muitas ruas intransitáveis, muitas escolas abandonadas e uma população desmotivada precisando impulsionar a sua auto-estima.

O que podemos criteriosamente entender tanto para que desenvolvamos os Municípios que integram a Região do Araripe que como um todo, um corpo complexo,  precisamos de tratamento que não seja apenas paliativo, é avançar mesmo na crise nos principais pontos que são as molas propulsoras para a busca de novo do equilíbrio. Unir forças através do Consórcio Intermunicipal do Sertão do Araripe – CISAPE, tornando ele o elo para discussões e soluções, e trazer para o conhecimento da população araripeana esses embates que podem fortalecer  as gestões e melhorar a vida do nosso povo sertanejo do semiárido regional.

COMENTÁRIOS

1 comentário

    Alberto Jorge Ferreira Gadelha disse:

    Deveríamos pedir para que a nossa gente ajudasse a manter a nossa cidade limpa colocando o lixo pra fora de casa só nos dias que o caminhão passa para recolher, não jogar lixo no canal e nem nas ruas coisinhas fácil de se fazer, utilizar os meios de comunicação para alertar sobre esta atitude importantíssima para o bem estar de todos.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.